Cabrito Estonado – Prémio Cinco Estrelas Regiões

Cabrito Estonado

O assado é uma das formas mais tradicionais de servir a carne, mas entre as várias receitas de cabrito no forno há uma que se destaca pela sua originalidade. Trata-se do cabrito estonado, que é considerado um dos pratos mais emblemáticos de Oleiros.

Este cabrito, confecionado de preferência em forno a lenha, tem a particularidade de não ser esfolado, mas sim estonado. Ou seja, logo após ser abatido é rapidamente escaldado em água a ferver e depois retiram-se-lhe os pelos, deixando a pele totalmente limpa e lisa. Diz-se estonado porque se extrai o que está à tona – à superfície. Mantendo a pele, que fica estaladiça, o cabrito não perde gordura, ganhando a sua carne em suculência e sabor. Esta iguaria é habitualmente acompanhada com arroz de miúdos, migas e batata assada.

As populações que ao longo dos séculos se fixaram na região da Beira Interior, em grande parte dominada por zonas de montanha e de floresta, pouco propícias à agricultura, perceberam desde cedo a importância da criação de gado caprino e ovino para o seu equilíbrio alimentar. Os beirões sempre aproveitaram o melhor possível as carnes do gado miúdo, dando-lhes um lugar de destaque nas mesas de festa, e preservando, nalguns casos, saberes dos antigos povos do Mediterrâneo.

No entanto, as referências históricas ao Cabrito Estonado começam num livro de culinária do Al-andaluz medieval que fala de um borrego estonado com óleo e Alexandre Dumas descreve, deliciado, a experiência de comer um borrego preparado à maneira do deserto, na Tunísia, também assado com a pele. Ainda assim, a mais famosa das histórias remonta a 1624. Supõe-se que a receita de Cabrito Estonado tenha tido origem no Tibete, e tenha sido trazida para Portugal pelo missionário Oleirense, António de Andrade, o primeiro ocidental a escalar os Himalaias e a chegar ao Tibete. Nos relatos da sua expedição aborda os costumes daquelas gentes e realça o facto de não esfolarem os carneiros e cabras para a confeção.

Em 2015 a história deste prato ganha novo fôlego com a criação da Confraria Gastronómica do Cabrito Estonado composta por 14 Confrades Fundadores, entre eles o ator Ruy de Carvalho na qualidade de Confrade de Honra. Durante a cerimónia de constituição da Confraria, Ruy de Carvalho, destacou por diversas vezes a multiculturalidade deste prato Oleirense, consumido pelas três principais religiões do mundo.

Recorde-se que o Cabrito Estonado de Oleiros foi galardoado com o Prémio Cinco Estrelas em 2020 e 2021.


Dados Resumo


CATEGORIA

Cozinha tradicional Portuguesa

DISTRITO

Castelo Branco

TESTES

Estudo de mercado massificado junto de uma amostra representativa da população portuguesa de 346.000 indivíduos

 

 

 

Coloque aqui o seu E-mail para subscrever a newsletter Notícias Cinco-Estrelas

Quero receber as Notícias Cinco Estrelas