Castelo de Silves – Prémio Cinco Estrelas Regiões

Castelo de Silves

 

A antiga alcáçova da Xilb islâmica é composta por imponente muralha, construída em taipa militar e revestida a arenito vermelho, integrando onze torres, nove adossadas e duas albarrãs. No espaço, com cerca de 12 000 m², originalmente reservado à elite administrativa, subsistem vestígios de habitações palatinas do período almóada (século XII — século XIII); infraestruturas de aprovisionamento de água (algibe); estruturas subterrâneas de armazenamento de cereais (silos) e construções do século XV.

O acesso ao interior é feito por uma porta dupla de átrio, ladeada por duas torres que a protegem. A norte localiza-se uma outra entrada, de cariz secundário, designada por Porta da Traição, pequeno postigo que permitia transpor a muralha, com discrição e autonomia, diretamente para o exterior, sem passar pela almedina.

O recinto teve diferentes ocupações, sendo que entre meados do século XIX e igual período do século XX foi utilizado como campo agrícola, tendo acolhido também a cadeia.

O aspeto atual das muralhas é fruto das intervenções profundas efetuadas pela DGEMN, na década de 40, do século XX.

A estátua do rei D. Sancho I, em bronze, apresenta de forma varonil, o primeiro conquistador cristão da cidade, em 1189. É uma escultura de Leopoldo de Almeida oferecida a Silves, em 1966.

O seu recinto é palco de diversas iniciativas culturais que visam a promoção cultural e patrimonial, tais como espetáculos, exposições, palestras e ações pedagógicas.

Classificado como Monumento Nacional desde 1910

 


Dados Resumo


CATEGORIA

Monumentos Nacionais

DISTRITO

Faro

TESTES

Estudo de mercado massificado junto de uma amostra representativa da população portuguesa de 425.000 indivíduos

Coloque aqui o seu E-mail para subscrever a newsletter Notícias Cinco-Estrelas

Quero receber as Notícias Cinco Estrelas